Ad 728x90

quarta-feira, 27 de maio de 2020

Famem defende prorrogação das eleições  para 2022

Famem defende prorrogação das eleições para 2022


A Federação dos Municípios do Estado do Maranhão (Famem) encaminhou nesta terça-feira (26/05), uma carta ao Congresso Nacional defendendo que as eleições municipais marcadas para o final deste ano, que sejam adiadas e ocorram apenas em 2022, junto com as eleições de governadores e presidente da República.

Na “Carta aberta ao Congresso e a Nação sobre as eleições”, a entidade alega que há diversos fatores impeditivos para a realização do pleito em 2020, como a necessidade de distanciamento social de cidadãos dos grupos de risco para Covid-19, os elevados gastos com a campanha eleitoral e a necessidade de cumprimento de diversos prazos exíguos quando se tratar do processo eleitoral.

A Famem também aponta problemas para operacionalizar as convenções, campanhas em pequenos municípios, como menos recursos tecnológicos, e a votação propriamente dita, com o envolvimento de milhões de pessoas.

O distanciamento social obriga a permanência de cidadãos com mais de 60 anos a se manterem afastados do convívio social, o que inviabiliza sua presença em convenções partidárias, campanhas eleitorais e até mesmo na eleição, a não ser que exponham sua saúde em risco;atualmente 1.313 prefeitos em exercício têm mais de 60 anos e, destes, 1.040 têm o direito de concorrer à reeleição;na última eleição, apenas 18% dos atuais prefeitos foram reeleitos. Portanto, atualmente, 82% dos prefeitos em exercício têm o direito de concorrer à reeleição;o direito à reeleição é constitucional;
Levantamento demonstra que os 14 estados governados por rivais de Bolsonaro têm 87% das mortes por Covid-19

Levantamento demonstra que os 14 estados governados por rivais de Bolsonaro têm 87% das mortes por Covid-19

Fotomontagem: Flávio Dino, João Doria e Wilson Witzel
A diferença da gravidade da doença nos 14 estados governados por rivais e algozes declarados do presidente da República com relação aos 13 estados governados por aliados (ou neutros) é gritante. Reveladora.

Os estados governados por opositores do presidente são os seguintes: São Paulo (João Doria, PSDB), Rio de Janeiro (Wilson Witzel, PSC), Espírito Santo (Renato Casagrande, PSB), Pernambuco (Paulo Câmara, PSB), Ceará (Camilo Santana, PT), Maranhão (Flávio Dino, PCdoB), Rio Grande do Norte (Fátima Bezerra, PT), Sergipe (Belivaldo Chagas Lima, PSD), Piauí (Wellington Dias, PT), Alagoas (Renan Filho, PMDB), Paraíba (João Azevedo, PSB), Bahia (Rui Costa, PT), Amapá (Waldez Góes, PDT) e Pará (Helder Barbalho, MDB).

Pois bem, esses 14 estados juntos, possuem 87% das mortes e 79% das infecções confirmadas pelo novo coronavírus.

Os estados sob comando de políticos contrários ao presidente somam, juntos 295.945 casos confirmados – no Brasil todo, são 374.898 ocorrências da covid-19. No caso das mortes, esses 14 estados contabilizam 20.370 mortes – no país, os óbitos pela doença atingiram a marca de 23.473. O levantamento considera dados acumulados até a noite de segunda-feira (25).

São Paulo, o estado mais populoso do país, é o epicentro da doença com 83.600 casos. O Rio de Janeiro é o segundo com 39,3 mil casos. E em terceiro aparece o Ceará, do petista Camilo Santana, com 36,1 mil casos.

Note-se que o Ceará é o oitavo estado do país em população, mas o terceiro em número de casos, bem próximo do Rio de Janeiro, o terceiro mais populoso e a frente de Minas Gerais, o segundo mais populoso.

Por outro lado, os outros 13 estados administrados por 'aliados' do presidente somam 78.953 casos – o equivalente a 21% do total. Quanto às mortes provocadas por covid-19, essas unidades da federação totalizam 3.103 óbitos – 13% dos registrados pelo Ministério da Saúde no país.

A incidência da doença, medida pelo número de casos a cada 100 mil habitantes, também é maior nos estados cuja gestão faz oposição a Bolsonaro.

A mortalidade, de acordo com os dados do Ministério da Saúde, atinge 13,7 pessoas a cada 100 mil pessoas nos estados sob a tutela de opositores de Bolsonaro. Entre aliados, esse número é de 7 mortes para cada 100 mil.

Os 13 estados cujos gestores são neutros ou aliados de Bolsonaro são: Rio Grande do Sul, Santa Catarina, Paraná, Minas Gerais, Mato Grosso do Sul, Goiás, Mato Grosso, Distrito Federal, Rondônia, Acre, Roraima, Tocantins e Amazonas.

Com informações: Do JCO

terça-feira, 26 de maio de 2020

A casa caiu: PF pega Witzel de pijamas no Palácio Laranjeiras

A casa caiu: PF pega Witzel de pijamas no Palácio Laranjeiras



A casa está desmoronando!

Operação Placebo da Polícia Federal teve início na manhã desta terça-feira (26) e cumpre mandados na residência do governador Wilson Witzel.

As suspeitas são de desvios na Saúde do RJ para ações na pandemia de coronavírus.

No total são 12 mandados de busca e apreensão - um deles no Palácio Laranjeiras.

A operação foi autorizada pelo Superior Tribunal de Justiça (STJ), responsável por ordenar ações contra governadores.

Equipes também foram mobilizadas para a casa onde Witzel morava antes de ser eleito, no Grajaú, e no escritório de advocacia do governador, que é ex-juiz federal.

quinta-feira, 21 de maio de 2020

Sem remédio ou vacina, saiba como pacientes se recuperam da covid-19

Sem remédio ou vacina, saiba como pacientes se recuperam da covid-19

Medicamentos já existentes e respiradores são ferramentas utilizadas para que o sistema imunológico do próprio paciente combata o novo coronavírus.

              Oxigenação adequada à imunidade contribuem para recuperação do paciente

Apesar dos esforços de pesquisadores no mundo todo, o tratamento da covid-19 ainda não dispõe de um remédio próprio. Os médicos contam apenas com os medicamentos já existentes e com os equipamentos de UTI, como o respirador, para fazer o sistema imunológico, que é proteção natural do corpo, combater o novo vírus, explica o infectologista Gerson Salvador, do Hospital Universitário da USP, em São Paulo.

“Cerca de 80% dos infectados pelo coronavírus apresentam sintomas leves que o próprio corpo, mesmo sem o auxílio respiradores mecânicos ou internações”, afirma.

As defesas naturais do corpo formam uma “barreira” contra o coronavírus ou outros patógenos que possam causar danos ao corpo.

“O sistema conta com duas formas de defesas. A defesa inata, como a pele e as mucosas, e a adaptativa, que é a imunidade que criamos ao entrar em contato com bactérias e vírus. Quando o coronavírus entra no corpo, quebrando as defesas inatas do infectado, penetra nas células e começa a se multiplicar", explica a imunologista Carolina Aranda, do Departamento Científico de Imunodeficiências da Associação Brasileira de Alergia e Imunologia.

As defesas naturais do corpo formam uma “barreira” contra o coronavírus ou outros patógenos que possam causar danos ao corpo.

“O sistema conta com duas formas de defesas. A defesa inata, como a pele e as mucosas, e a adaptativa, que é a imunidade que criamos ao entrar em contato com bactérias e vírus. Quando o coronavírus entra no corpo, quebrando as defesas inatas do infectado, penetra nas células e começa a se multiplicar", explica a imunologista Carolina Aranda, do Departamento Científico de Imunodeficiências da Associação Brasileira de Alergia e Imunologia.

"O corpo então reage liberando citocinas, um hormônio que estimula a produção de anticorpos contra o vírus por meio do linfócitos, que então o neutraliza, impedindo que ele entre nas células saudáveis e piore o quadro do paciente”, diz ela sobre a reação do corpo em relação à doença. 

O próximo passo do corpo é produzir imunoglobulinas, ou igG, que são células que geram imunidade do corpo para aquele vírus, uma espécie de memória para não ser reinfectado. Mas, a especialista ressalta que não existem testes conclusivos sobre quanto tempo dura essa memória, por isso, não se deve se expor ao coronavírus por já ter sido contaminado.

Papel dos remédios

Carolina explica que existem três fases da ação do vírus no corpo e destaca que os medicamentos que temos têm ação apenas em fases específicas, mas que os testes ainda não demonstraram uma melhora efetiva.

“A cloroquina, por exemplo, trabalha na primeira fase e impede que o vírus se ligue a um tipo específico de receptor nas células, fazendo com que ele não consiga infectá-la. Os testes em grupos controlados são muito difíceis na pandemia, por isso existe muita especulação em torno desse medicamento. É necessário saber em que hora ele é útil e quando pode ser usado", afirma.


“Alguns antivirais podem ser usados para que o vírus não se multiplique, que seria o estágio dois da doença. E, por fim, quando o corpo todo do paciente está inflamado usa-se o tocilizumabe, que impede que a inflamação leve o paciente à morte. Levando isso em conta, não acredito que teremos um remédio único em breve”, conclui sobre o uso desses medicamentos no tratamento da covid-19.

Ambos os especialistas afirmam que o vírus ainda é desconhecido em muitos sentidos e o método mais eficiente para combater a pandemia é o isolamento social. “É necessário ficar em casa, ficar em casa e ficar em casa”, enfatiza o infectologista.

Com informações: Do R7

Flávio Dino anuncia que pequenas empresas podem abrir a partir da próxima segunda-feira (25)

Flávio Dino anuncia que pequenas empresas podem abrir a partir da próxima segunda-feira (25)

Shopping Centers ainda não poderão voltar a funcionar a partir da próxima semana

Governador do Maranhão, Flávio Dino - Foto: Gilson Teixeira
Em pronunciamento nesta quarta-feira (20), o governador Flávio Dino anunciou que as regras vigentes que estão sendo adotadas em relação ao comércio no Maranhão para prevenção do novo coronavírus funcionarão até o próximo domingo (24). Já a partir da segunda-feira (25) será iniciado um processo de liberação das atividades econômicas que será estendido por 45 dias.

Conforme Flávio Dino, o processo que será iniciado de reabertura do comércio vai começar com empresas somente familiares e sendo feito com segurança, seguindo as normas sanitárias. “Esse processo iniciará a partir da próxima segunda-feira pelas empresas exclusivamente familiares, ou seja, estabelecimentos que trabalham somente o proprietário e pessoas do seu grupo familiar, pequenas empresas que estejam situadas em qualquer cidade do Maranhão, menos no caso de shopping center”, disse.

Em relação a outros seguimentos econômicos, o governador reforçou que a liberação vai depender da aprovação pela Casa Civil de protocolos sanitários setoriais que já estão sendo elaborados. “Os protocolos serão apresentados pela Secretaria de Estado Indústria e Comércio ou pela Secretaria de Direitos Humanos à apreciação do secretário chefe da Casa Civil e ele ouvirá a equipe técnica da Secretaria de Estado da Saúde e aprovará o protocolo sanitário”, falou.

De acordo com Flávio Dino, a partir da aprovação do protocolo setorial será possível a partir do dia 1° de junho a abertura de outros seguimentos econômicos e sociais com observância de normas gerais sanitárias, como uso de máscara, procedimentos de higiene e etiqueta respiratória e também de distanciamento social.


Fonte: O IM

quarta-feira, 20 de maio de 2020

Moto roubada é recuperada pelos Agentes de Trânsito de Chapadinha

Moto roubada é recuperada pelos Agentes de Trânsito de Chapadinha

Por: Valdivan Alves
Fotos: Agentes de Trânsito
Uma motocicleta preta Honda/CG 150 FAN ESI- com placa OXQ- 2749, da cidade de Mata Roma-MA, roubada foi apreendida por Agentes de Trânsito, por volta das 10h30, da manhã desta quarta-feira (20/05), em Chapadinha. 

O veículo estava sem a placa e estacionado na Trav. Manoel Machado da Pontes ao lado da Agencia da Cx. Econômica Federal. Após os agentes consultarem o sistema de informação, constataram que havia um registro de roubo/furto. 

O veículo roubado, foi levado à delegacia de Polícia Civil para instauração de inquérito policial. 


Ainda bem que a natureza, criou esse monstro chamado coronavírus'LULA (veja o vídeo)

Ainda bem que a natureza, criou esse monstro chamado coronavírus'LULA (veja o vídeo)

Por: Valdivan Alves

O Ex-Presidente Luis Inácio Lula da Silva, em uma Live, ressaltou um fator positivo da pandemia do novo coronavírus que foi a valorização da necessidade da máquina pública no Brasil. 

“Quando eu vejo alguns discursos dessas pessoas, falando, quando eu vejo, sabe, essas pessoas acharem bonito que tem que vender tudo que é público, que o público não presta nada… Ainda bem que a natureza, que a natureza, contra a vontade da humanidade, criou esse monstro chamado coronavírus. Porque esse monstro está permitindo que os cegos enxerguem, que os cegos comecem a enxergar, que apenas o Estado é capaz de dar solução a determinadas crises”, disse Lula.

Segundo Lula, a crise causada pela COVID-19 é de responsabilidade dos serviços públicos. “Essa crise do coronavírus, somente o Estado é que pode resolver isso”, afirmou. O petista voltou aos debates políticos após ser solto em novembro de 2019, quando o Supremo Tribunal Federal (STF) declarou inconstitucional a prisão após condenação em segunda instância, que é o caso. O ex-presidente ficou preso por um ano e sete meses e cumpriu pena por corrupção passiva e lavagem de dinheiro no processo do caso do triplex no Guarujá

Essa fala dessa deveria ocupar as redações dos principais jornais do país, durante dias a fio, mas conhecendo a mídia que temos nada se fala, se fosse o atual presidente Bolsonaro, com certeza estava  nos debates das grandes emissoras!

Veja o vídeo: 
 
               

terça-feira, 19 de maio de 2020

Cofres municipais recebem repasse do FPM nesta quarta-feira ( 20), confira os valores

Cofres municipais recebem repasse do FPM nesta quarta-feira ( 20), confira os valores


Nesta quarta-feira, 20 de maio, será repassado aos cofres municipais o segundo decêndio do mês referente ao Fundo de Participação dos Municípios (FPM). O valor total, já descontada a retenção do Fundo de Manutenção e Desenvolvimento da Educação Básica e de Valorização dos Profissionais da Educação (Fundeb) corresponde a R$ 726.025.654,34. Em valores brutos, incluindo o Fundeb, o montante é de R$ 907.532.067,93.

A grande preocupação dos gestores municipais e do presidente da Confederação Nacional de Municípios (CNM), Glademir Aroldi, se torna ainda mais evidente neste repasse. É que comparado ao mesmo período do ano passado, o acumulado do ano apresenta uma queda de 28,78%. O cenário mostra os grandes desafios que os gestores terão de enfrentar devido a pandemia do novo coronavírus (Covid-19), já que a paralisação da economia deve perdurar ainda por um tempo.

Quando o valor do repasse leva em conta a inflação do período, o decêndio apresenta crescimento de 14,20% se comparado ao mesmo período do ano anterior. Porém, a soma do 1º e 2º decêndio mostra que o FPM está em a queda de 30,53% dentro do mês, se comparado ao mesmo período de 2019, levando-se em conta a inflação do período.

O cenário de queda no repasse também é verificado no valor total transferido aos Municípios de janeiro até o segundo decêndio de maio de 2020, comparado ao mesmo período de 2019. O valor apresenta um decréscimo de 4,22%.

Auxílio Financeiro

A CNM reforça que a Medida Provisória 938/2020 garante repasse aos Municípios de complementação do FPM. Os valores a serem transferidos vão compensar as perdas no Fundo quando, tornando-o equivalente ao mesmo patamar de 2019. Os recursos são transferidos pela União até o 15º dia útil de cada mês, de março a junho de 2020.


Com informações: Da Agência CNM
Vacina para Covid-19 mostra resultado promissor

Vacina para Covid-19 mostra resultado promissor

Ações do laboratório americano dispararam com o anúncio

Vacina para covid-19 (Foto: REUTERS/ Dado Ruvic/ Direitos Reservados)
O laboratório americano Moderna informou nesta segunda-feira (18) que sua vacina experimental contra a covid-19 mostrou potencial em um estudo de estágio inicial, já que produziu anticorpos neutralizadores do vírus semelhantes àqueles encontrados em pacientes recuperados, o que fez o preço das ações dispararem cerca de 25%.

A vacina da empresa está na vanguarda dos esforços de desenvolvimento de um tratamento para o vírus de disseminação veloz e, na semana passada, recebeu o selo de “aprovação rápida” da agência de saúde dos Estados Unidos para que a revisão regulatória seja acelerada. A Moderna espera iniciar um estudo de estágio final mais amplo em julho.

Atualmente não existem tratamentos ou vacinas aprovados para a covid-19, causada pelo novo coronavírus, e especialistas preveem que uma vacina segura e eficiente pode demorar de 12 a 18 meses.

Oito pacientes que receberam a vacina da Moderna mostraram níveis de anticorpos similares àqueles de pessoas que se recuperaram da covid-19, segundo resultados iniciais do estudo feito pelo Instituto Nacional de Saúde dos EUA.

Todos os 45 participantes do estudo receberam três doses diferentes da vacina, e a Moderna disse que viu um aumento de dependência da dose na imunogenicidade, a capacidade de provocar uma reação imune no corpo.

“Essas são descobertas significativas, mas é um ensaio clínico de estágio inicial que incluiu apenas oito pessoas. Foi projetado para a segurança. Não para a eficácia”, disse Amesh Adalja, especialista em doenças infecciosas do Johns Hopkins Center for Health Security, que não estava envolvido no estudo.

Os dados iniciais oferecem um vislumbre de esperança para uma vacina entre as mais avançadas em desenvolvimento.

Adalja disse que muitas falhas podem ocorrer entre agora e o momento em que a vacina for testada quanto à eficácia em milhares de pessoas. “O que vemos é encorajador”, disse ele.

Maximizando doses

“No contexto de uma pandemia, esperamos que a demanda exceda em muito a oferta e, quanto menor a dose, mais pessoas esperamos poder proteger”, disse o médico chefe Tal Zaks.

Em abril, o governo dos EUA fez uma aposta na Moderna, apoiando sua vacina com US$ 483 milhões da Autoridade Biomédica de Pesquisa e Desenvolvimento Avançado (Barda), parte do Departamento de Saúde e Serviços Humanos dos EUA (HHS).

A empresa disse que o avanço permitirá fornecer milhões de doses por mês em 2020 e, com investimentos adicionais, dezenas de milhões por mês em 2021, se a vacina for bem-sucedida.

“Estamos investindo para intensificar a fabricação para que possamos maximizar o número de doses que conseguimos produzir para ajudar a proteger tantas pessoas quanto pudermos da Sars-CoV-2”, disse o executivo-chefe da Moderna, Stéphane Bancel.

A empresa assinou contratos com a farmacêutica suíça Lonza Group e com o governo dos EUA para produzir em grande quantidade a vacina, que se mostrou segura e bem tolerada no estudo de estágio inicial.

Um participante do teste teve vermelhidão no local da injeção, o que foi caracterizado como um efeito de “grau 3”. Não foi relatado nenhum efeito colateral grave, segundo a empresa.

As ações da Moderna subiram 240% no espaço de 12 meses encerrado na última sexta-feira (15).

Com informações: Do IM