FACULDADE SANTA FÉ

FACULDADE SANTA FÉ
CURSOS

PROJETO SOCIAL

PROJETO SOCIAL

sexta-feira, 8 de dezembro de 2017

Aumentou a pena para motorista alcoolizado que provocar acidente com morte

Pelo texto, a punição para o crime será de reclusão de cinco a oito anos. O Projeto de Lei 5568/13,  já passou pelo Senado e agora segue para sanção presidencial
Pelo texto, a punição para o crime será de
reclusão de cinco a oito anos. O Projeto de Lei
5568/13, já passou pelo Senado e agora segue
para sanção presidencial
A Câmara dos Deputados aprovou nesta quarta-feira (6) o aumento da pena para motoristas sob efeito de álcool ou drogas que provocar acidente com morte. Pelo texto, a punição para o crime será de reclusão de cinco a oito anos. O Projeto de Lei 5568/13, de autoria da deputada Keiko Ota (PSB-SP), já passou pelo Senado e agora segue para sanção presidencial.

O texto original da Câmara, aprovado em setembro de 2015, estabelecia pena de detenção de dois a quatro anos. Com o prazo alterado pelo Senado, a matéria precisou retornar para votação pelos deputados. A atual penalidade administrativa de suspensão ou proibição de se obter a permissão ou a habilitação para dirigir veículo automotor continua valendo.

No plenário, os deputados rejeitaram duas alterações ao texto feitas pelo Senado, uma delas a que acabava com o limite máximo de álcool a partir do qual o condutor flagrado pode ser condenado a pena de detenção de seis meses a três anos, multa e suspensão da carteira ou proibição de obtê-la. Atualmente, é prevista pena para o condutor flagrado dirigindo com concentração igual ou superior a 6 decigramas de álcool por litro de sangue ou igual ou superior a 0,3 miligrama de álcool por litro de ar nos pulmões.

As novas regras entrarão em vigor após 120 dias da publicação da lei.

Fonte: Correio Braziliense/VG

VIDEO :Polícia prende Júnior de Nenzin

 
Foto: Reprodução


Após buscas que duraram toda a madrugada, Mariano Júnior, o Júnior de Nenzin, foi preso pela polícia militar. Ele é o principal suspeito pela morte de Nenzin, seu próprio pai, ex-prefeito de Barra do Corda.


Ele foi preso em uma residência nos perímetros da cidade, e é o principal suspeito pela morte de Nenzin, ex-prefeito de Barra do Corda, seu próprio pai.

A informação foi passada pelo secretário de Segurança do Estado, Jefferson Portela que vai dar, ainda nesta manhã, uma entrevista coletiva para dar detalhes da operação e informar quando o suspeito será transferido para a capital.


Com informações:Do JP

quinta-feira, 7 de dezembro de 2017

Vídeo: aluna insulta e ameaça "acabar" com diretora ao ser contida por agressão

A agressão sofrida pela diretora da Unidade Escolar Firmina Sobreira, Marilena Maria Teixeira Silva, foi registrada através de vídeo. As imagens, gravadas por um celular, mostram a gestora sendo chamada de “vagabunda” pela aluna que lhe agrediu. A diretora procurou a delegacia do menor infrator e deve fazer exame de corpo de delito no IML ainda hoje.
 A estudante de 16 anos cursa o 8º ano e teria se irritado porque a direção da escola cobrou que ela usasse o fardamento completo da unidade escolar. A gravação tem 1 minuto de duração e mostra a aluna sendo contida por uma mulher e depois levada para fora da unidade. 
O vídeo foi gravado logo após a diretora ter sofrido puxões de cabelos e socos praticados pela aluna. Nervosa, Marilena diz que a estudante está “louca”. A garota então ameaça: “Tu é uma vagabunda que não sabe nem ser diretora. Eu ainda vou acabar contigo vagabunda”, diz. 
As imagens mostram que os alunos da escola presenciam agressão e ficam perplexos com a situação. A agressão ocorreu por volta das 9h desta quarta-feira (6). A escola fica localizada no bairro Poti Velho, na zona Norte de Teresina. 
Este é o terceiro caso, em menos de uma semana, em que educadores são agredidos em escolas de Teresina. Na sexta-feira, um professor foi esfaqueado por repreender uma aluna que estava colando. Na segunda-feira, outro docente sofreu coronhadas de bandidos durante um assalto dentro da sala de aula
Veja depoimento da diretora à TV Cidade Verde
Com informações:Cidade verde

CONFIRA O VÍDEO:Professora choca web ao mostrar como colocar camisinha com a boca em estudante

Um vídeo começou a circular nas redes sociais nos últimos dias e mostra uma mulher, que seria professora, ensinando como se coloca uma camisinha, utilizando um estudante, e o caso gerou um verdadeiro rebuliço na web.

Seria uma demonstração normal, afinal, mostrar como se prevenir é algo recomendável, mas o que chamou a atenção foi a forma como essa demonstração foi feita.

Muito animada, a mulher, cercada de estudantes, coloca o preservativo na boca, se ajoelha para o jovem, que segura um pênis de borracha, como se fosse o seu, enquanto ela coloca a camisinha rapidamente.

Todos os presentes ficaram abismados com a cena e nas redes sociais muita gente criticou a atitude. Não se sabe ao certo onde o vídeo foi gravado e se ele é recente. Há informações de que teria sido em uma universidade da Paraíba.

ASSISTA AO VÍDEO
Fonte:180 Graus

quarta-feira, 6 de dezembro de 2017

Governo Temer retira `gênero´ da base curricular e une tema à religião

Ministério da Educação retirou cerca de dez trechos sobre `gênero´ da base curricular federal

Governo Temer retira `gênero´ da base curricular e une tema à religiãoAs menções ao que tange assuntos sobre 'gênero' foram excluídas da nova versão da Base Nacional Comum Curricular pelo Ministério da Educação do governo Michel Temer. Agora, "gênero" e "sexualidade" deverão ser abordados através das matérias de ensino religioso. O objetivo é que se discuta o assunto nas escolas segundo às tradições religiosas.
Segundo informações da Folha de São Paulo, que teve acesso à nova versão da base, encaminhada ao CNE (Conselho Nacional de Educação) no dia 29 de novembro, o documento está em processo de análise final do conselho. O MEC não quis divulgar o texto.
Para esclarecer, é preciso entender que a Base Nacional Comum Curricular define o que e como os alunos irão aprender a cada ano, na educação básica. E apesar da discussão sobre a abordagem do assunto no ensino médio ter sido congelada pelo governo, o grupo que vai da educação infantil ao ensino fundamental está em plena discussão.
Suprimidos
Anteriormente, o MEC já havia retirado três menções sobre a identidade de gênero e orientação sexual. Agora, segundo a Folha, foram cerca de 10 trechos retirados pela equipe do ministro Mendonça Filho (DEM-PE). A proposta da nova Base aparece com pontos revisados pelo ministério a partir da terceira versão, finalizada em abril deste ano.
Os conteúdos relacionados ao ensino religioso foram retirados da base, anteriormente. O motivo é que a matéria era optativa de acordo com a legislação. Apesar disso, com a nova revisão, o ensino religioso voltou até mais forte. Agora possui status de matérias como matemática.
Fonte: Guia-me / com informações Folha de S.Paulo e CPAD NEWS

‘O mundo mudou, mas Deus não’, disse Magno Malta sobre casamento gay

O senador classificou o projeto como inconstitucional
O senador classificou o projeto como
inconstitucional
O projeto que trata do reconhecimento legal da união estável entre pessoas do mesmo sexo (PLS 612/2011) teve, nesta terça-feira (5), a votação adiada no Plenário do Senado por falta de quórum. O projeto chegou a ser colocado em votação, mas o senador Magno Malta (PR-ES), contrário à matéria, pediu verificação de quórum – que não atingiu o mínimo necessário de 41 senadores presentes.


Para o senador Magno Malta, “o projeto de lei que reconhece a união estável entre pessoas do mesmo sexo, não pode ser visto como picuinha entre evangélicos e gays. Muito pelo contrário, o ex-presidente do Supremo Tribunal Federal, Ministro Joaquim Barbosa, legislou e oficiou os cartórios a fazerem o casamento gay. Por isso o argumento, de votar no projeto já que o casamento existe, é uma falácia. A Constituição Federal reconhece o casamento de homem com mulher. Temos que respeitar, mesmo sabendo que o mundo mudou, mas Deus não mudou”, disse Magno Malta em plenário, nesta terça-feira.

Em seu relatório na Comissão de Constituição, Justiça e Cidadania (CCJ), o senador Roberto Requião (PMDB-PR) lembrou a decisão de 2011 do Supremo Tribunal Federal (STF) que reconhece o direito à formalização da união entre casais homossexuais. Ele observou, no entanto, que é responsabilidade do Legislativo adequar a lei em vigor ao entendimento consagrado pelo STF.

Marta Suplicy disse que o projeto é “uma consolidação do que já existe”. A senadora classificou a decisão do Supremo como um passo significativo da Justiça, como uma forma de proteção da lei. Ela também lembrou que em 2013, o Conselho Nacional de Justiça (CNJ) estabeleceu uma resolução sobre a celebração de casamento civil e sobre a conversão de união estável em casamento, entre pessoas de mesmo sexo.

Já o senador Magno Malta classificou o projeto como inconstitucional e criticou a postura do CNJ, que teria legislado sem competência legal. Ele negou ser “fundamentalista”, disse respeitar as posições contrárias e lembrou que o Brasil é majoritariamente cristão e católico.

Fonte: Assessoria de Imprensa/VG

CCJ aprova PEC que prevê eleições diretas em vacância da Presidência da República

exto estabelece que, se o presidente e o vice deixarem o posto por algum motivo, serão convocadas eleições diretas, exceto nos últimos seis meses do mandato
Aexto estabelece que, se o presidente e o vice
deixarem o posto por algum motivo, serão
 convocadas eleições diretas, exceto nos últimos
seis meses do mandato
A Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) da Câmara dos Deputados aprovou nesta quarta-feira (6) a Proposta de Emenda à Constituição (PEC) que autoriza eleições diretas no caso de vacância da Presidência da República até seis meses antes do fim do mandato.
O texto foi aprovado em votação simbólica – sem o voto nominal dos deputados. Com o resultado, a PEC será encaminhada para uma comissão especial e depois o texto precisa ser votado no plenário, em dois turnos, antes de ser enviado para análise do Senado.

A proposta, de autoria do deputado Miro Teixeira (Rede-RJ), autoriza eleições diretas no caso de vacância da Presidência e da Vice-Presidência da República, até seis meses antes do fim do mandato.

Atualmente, a Constituição determina que se a Presidência ficar vaga nos dois últimos anos do mandato deverá ser realizada eleição indireta pelos membros do Congresso, com votação convocada para até 30 dias após a vacância.

Ao longo do ano, em meio às denúncias da Procuradoria Geral da República contra o presidente Michel Temer, a base aliada do Palácio do Planalto vinha obstruindo a análise da PEC, que ficou parada na CCJ. As acusações, que poderiam levar a um eventual afastamento ou perda de mandato do peemedebista, acabaram rejeitadas pela Câmara.

Fonte: G1/VG

Casal é preso em MG por suspeita de matar grávida que teve barriga aberta para retirada de bebê

Uma mulher de 37 anos foi presa na noite desta terça-feira (5) por suspeita de ter matado uma gestante, roubado o bebê e ido ao hospital em Uberlândia, no Triângulo Mineiro, dizendo que teve um parto em casa.


O companheiro da mulher, de 34 anos, também foi detido por haver indícios de estar envolvido no crime. Não há informações se o casal tem advogado.
Segundo a Polícia Militar (PM), Gabrielle Barcelos tinha 18 anos de idade e o corpo foi encontrado caído no quintal da casa da suspeita, no Residencial Monte Hebron, depois que os militares receberam uma denúncia.
A vítima estava sem a parte de cima da roupa e com um corte na barriga. O namorado da gestante disse que a jovem estava grávida de oito meses.
Crime
A polícia apura que a jovem foi atraída até o local do crime com a desculpa de que receberia doações de roupas da suspeita, que, a princípio, simulava estar grávida. Ainda conforme a PM, depois de retirar a criança da barriga da mãe, a mulher chamou a ambulância em casa e foi levada junto com o bebê para a Unidade de Atendimento Integrado (UAI) do Bairro Planalto.
As primeiras informações são de que os funcionários da unidade perceberam que a criança estava em estado grave e a encaminharam com a mãe para o Hospital das Clínicas da Universidade Federal de Uberlândia (HC-UFU). A polícia foi chamada pela equipe da UAI, pois a médica que fez o atendimento desconfiou que a mulher não tivesse dado à luz nesta terça-feira.
No hospital, a suspeita, acompanhada de um homem que se identificou como o marido, disse que deu à luz uma menina. O HC-UFU não confirmou o estado de saúde da criança.
Momentos antes, o corpo de uma jovem havia sido encontrado na casa da mulher no Residencial Monte Hebron. Conforme a PM, o filho da suspeita, um adolescente de 14 anos, ligou para a polícia após chegar em casa e encontrar sangue pelos cômodos. No quintal, ele viu um colchão que parecia estar com um corpo dentro. Ao chegarem no local, os militares constataram a existência do corpo da de Gabrielle.
Com base no cruzamento de informações sobre as denúncias recebidas, a mulher foi localizada no hospital e presa. Segundo a polícia, ela confessou o crime. O Conselho Tutelar esteve no HC-UFU, mas não quis falar sobre o caso. O corpo da vítima foi encaminhado para o IML.
Marido pode ter participação
No depoimento aos militares, a mulher disse que usou uma faca para retirar a criança da barriga da mãe e asfixiou a jovem com as mãos. A suspeita ainda afirmou que vinha sendo pressionada pelo marido a ter um filho após perder um bebê aos quatro meses de gravidez.
Vizinhos da mulher disseram à polícia terem visto o homem saindo de casa com um bebê nos braços. Ele também foi preso, mas não se manifestou sobre o caso. O casal foi levado para a Delegacia da Polícia Civil.
Fonte: G1/ CV

Após ser baleado morre o ex-prefeito de Barra do Corda Nenzim


            O crime foi registrado na manhã desta quarta-feira (6).

O ex-prefeito de Barra do Corda, Manoel Mariano de Sousa, conhecido como Nenzin, morreu após ter sido baleado na manhã desta quarta-feira (6).

A vítima chegou a ser encaminhada para hospital do município de Presidente Dutra, mas não resistiu. Segundo informações, ele foi vítima de disparo de arma de fogo na região do pescoço. Um equipe da Superintendência de Policia Civil do Interior (SPCI) foi encaminha ao município para averiguar o caso.

Nenzim foi prefeito de Barra do Corda por três vezes, tendo deixado o último mandato em 2012.


Com informações: Imirante.Com